Noticias

Compartilhe

Além dos 50 países da Lista Mundial da Perseguição

A Lista Mundial da Perseguição, lançada a cada ano pela Portas Abertas, é um ranking dos 50 países onde os cristãos são mais perseguidos. Isso significa que a perseguição se limita apenas a esses países? De forma alguma. Infelizmente, ela se estende a muitas outras nações; no mínimo a 23 outras. Por isso, a Portas Abertas mantém uma lista de países em observação. São lugares onde a pesquisa também é realizada e a perseguição é registrada.

Uma das ferramentas da pesquisa é um questionário que cobre cinco esferas da vida (vida privada, família, comunidade, nação e igreja) e violência. Baseado nas respostas, caracteriza-se o nível de perseguição por país em uma escala de 0 a 100 pontos. A escala é dividida em quatro categorias, baseadas em intervalos específicos de pontuação. Os níveis de perseguição são: perseguição extrema, severa, alta e variável.

Considera-se países em que há perseguição aos cristãos os que pontuam acima de 41. O último colocado na LMP 2019, o Azerbaijão, obteve 57 pontos, encaixando-se, portanto, no nível de perseguição alta. Mas abaixo dele há outros 23 países que fizeram mais de 41 pontos, são esses os países que não entram no ranking dos 50, mas estão em observação.

Com 56 pontos, o primeiro país em observação é Comoros, ocupando a 51ª posição na LMP 2019. Assim como a Ilha de Comoros, Quirguistão e Djibuti também totalizaram 56 pontos. A diferença na pontuação entre eles é em nível decimal. Por isso, o Quirguistão está em 52º lugar e o Djibuti, que ocupava a última posição na LMP 2018, está em 53º lugar em 2019.

Para saber mais sobre a metodologia da Lista Mundial da Perseguição e sobre os países em observação, acesse a aba Lista Mundial do site. Leia, divulgue, ore e apoie a causa da Igreja Perseguida.

Fonte: CPAD News, 30/ 01/ 2019