Entrevistas

Compartilhe

Finanças e o Deus que sustenta


A Teologia da prosperidade prega que a bênção financeira é o desejo de Deus para os cristãos e que a fé irá sempre aumentar a riqueza material. Mas se a realidade vivenciada é de dificuldades financeiras? "Aonde está Deus?" "Qual foi o erro?" "Deveria doar mais para a Igreja?"  "Como pode Deus me amar se permite que eu passe por dificuldades financeiras ou mesmo provação de algumas coisas que desejo?" A Teologia da Prosperidade trouxe muita confusão quanto à mordomia cristã.
 
Pedro Leal Junior escreveu o livro "O Deus que sustenta", abordando justamente o amor de Deus, o nosso relacionamento com Ele e o que é esperado quanto ao relacionamento do cristão com o dinheiro.
 
Economista e pós-graduado em Marketing e Desenvolvimento Gerencial. É também bacharel em Teologia pela Faculdade Teológica Sul Americana. Atuou por vários anos nas áreas administrativa e financeira. É colaborador com artigos para o Instituto Jetro.  Atualmente é pastor na 1ª Igreja Prebiteriana Independente de Londrina . Autor do livro O Deus que sustenta da Editora Multiplicação da Palavra.
 
O Instituto Jetro entrevistou Pr. Pedro Leal sobre o livro.

Pedro Leal JúniorInstituto Jetro - O que os leitores do "O Deus que sustenta" podem esperar do livro?
P
edro- Classifico o livro "O Deus que sustenta" como um devocional a respeito da beleza da vida cristã e seus impactos sofridos pelo mundo pós-moderno. O objetivo é levar o leitor e a leitora a refletirem sobre como podem desenvolver uma espiritualidade saudável e firme independente de sua situação sócio/econômica. Não tem por objetivo esgotar o assunto ou aprofundar-se nas questões teológicas e dogmáticas, mas através de experiências pessoais e aplicações bíblicas nos levar a compreender um pouco mais do caráter amoroso de Deus.

Instituto Jetro - O Instituto Jetro tem uma seção dedicada às Finanças e percebemos que é uma temática inesgotável, cabendo-lhe diversas abordagens, tanto no que se refere às finanças pessoais de pastores e líderes, quanto das Igrejas. Qual questionamento o Sr. visa responder ao escrever este livro? 
Pedro-  A pergunta central que me levou a escrever o livro foi: "Como pode Deus me amar se permite que eu passe por dificuldades financeiras ou mesmo provação de algumas coisas que desejo?" Percebi que muitas pessoas são afetadas diretamente em sua fé por não compreenderem princípios bíblicos básicos sobre a mordomia cristã (a maneira como tratamos os bens que recebemos de Deus) e estão sofrendo por falta de conhecimento. Procuro ainda fazer um contraponto com o que costuma-se chamar "Teologia da prosperidade" tão televisivamente difundida, convidando os leitores para um investigação mais profunda da Palavra de Deus e da vida e ensinamentos de Jesus.
 
Instituto Jetro - Podemos conferir no livro os 12 princípios que entende serem fundamentais para uma vida financeira equilibrada e um relacionamento saudável com o Senhor, no que tange às finanças. Poderia de maneira resumida falar sobre os 6 primeiros: O Princípio do trabalho, Princípio da posse, Princípio da fidelidade, Princípio da benção, Princípio da boa administração, Princípio do simples?  
Pedro -  Tentarei ser breve e não repetir os capítulos do livro:
- Princípio do trabalho - todo trabalho é uma benção de Deus e devemos estar dispostos a nos dedicar com afinco e alegria onde deus nos colocou;
- Princípio da posse - tudo o que temos (bens, recursos financeiros, trabalho etc.) pertence a Deus, somos apenas mordomos temporários a serviço do Reino.
- Princípio da fidelidade - o dízimo e as ofertas são antes de tudo uma expressão de adoração a Deus. É o reconhecimento da fidelidade Dele para conosco e a demonstração da nossa fidelidade para com Ele.
- Princípio da benção - Não damos o dízimo para obter as bênçãos de Deus, não se trata de troca. Mas é maravilhoso experimentar a o sustento amoroso de Deus quando depositamos Nele nossa confiança.
- Princípio da boa administração - por mais simples que pareça, ainda encontramos muitas pessoas que não possuem um controle mínimo do seu orçamento, gastam mais do que ganham. É preciso buscar ajuda em um discipulado cristão relevante para trazer ordem em todas as áreas da nossa vida.
- Princípio do simples - viver o simples de Deus é necessário. Não se trata de viver com pouco ou fazer um voto de pobreza. Mas viver o simples de Deus significa viver com aquilo que Deus nos deu e com alegria.
 
Instituto Jetro - No livro o Sr. aborda a questão da inadimplência mas por um viés bíblico sobre o que é dívida. O Sr. acredita que a maioria das dívidas é feita por pressão social? Ou seja, "compramos o que não precisamos, com o dinheiro que não temos, para agradar as pessoas a quem não precisamos agradar", ou tão pouco conhecemos. Como mudar esta realidade?
Pedro - Infelizmente temos sido bombardeados pela mídia diariamente sobre a necessidade de comprarmos mais e mais. A facilidade de crédito tem colocado muitas famílias em situações de endividamento por falta de autocontrole e sabedoria na hora de comprar. Este cenário tende a piorar e a pressão do consumismo tende a crescer, somente venceremos esta batalha quando encontrarmos contentamento e realização na pessoa de Deus através de Jesus Cristo, compreendendo seus propósitos para cada um de nós e um coração descansado na provisão do Deus que sustenta.

Instituto Jetro - Os exemplos que cita no livro trazem esperança para os que se encontram em situações complicadas com as finanças. Neste momento, o que poderia falar dos últimos 6 princípios alocados: O Princípio da quitação, Princípio do maná, Princípio da escolha, Princíp