Entrevistas

Compartilhe

A necessidade de um site de qualidade


Procuramos alguém que tivesse a experiência necessária para conversar conosco a respeito dos passos necessários para que uma igreja tenha um site que contribua para seus objetivos, imagem e relacionamento com a comunidade em geral.

O entrevistado para explorar os cuidados básicos, design e desenvolvimento de um site de qualidade tem 12 anos de experiência no desenvolvimento de websites e soluções para internet.

Wesdra Clementino de Lima é proprietário da Expertu - Comércio Virtual e Marketing, uma agência digital especializada em desenvolvimento de sistemas para internet. Ele é administrador de empresas e pós-graduado em gestão de projetos.

 

Por que se tornou quase indispensável para uma igreja ter um site nos dias de hoje?
Wesdra
– São vários os motivos, mas ressalto aqueles que considero mais importantes. Primeiro a comunicação. Um site deve ser utilizado para manter os membros atualizados sobre todos os assuntos inerentes à comunidade. Como por exemplo: eventos, missões, reuniões, cultos, projetos, prestação de contas, células e dezenas de outros assuntos. Em segundo a questão do relacionamento.  Através do site a igreja promove ações para os membros e internautas e estende seu papel de igreja para além dos templos, ou seja, atende a comunidade 24 horas por dia e 365 dias no ano. Em terceiro lugar há a questão da evangelização. Não é uma tarefa fácil, porém, é possível criar conteúdo estratégico para o internauta não-cristão.  Um exemplo simples seria a criação de conteúdo sobre saúde, hábitos alimentares e emagrecimento. Temas como estes atraem o público para o site e permite que sejam ministrados com mensagens ou versículos. Há também a questão dos cursos de interesse da visão da igreja e da comunidade que podem ser oferecidos através de uma área restrita.

Como começar? Quais seriam os primeiros passos para uma organização que deseja ter seu endereço na Internet?
Wesdra -
São 4 passos básicos. 1º ) Planejamento: o site deve ter uma identidade com a visão, ações e público-alvo da igreja local. Somente após essa definição é que as sessões ou serviços serão estabelecidos com clareza. Lembre que um site é uma ferramenta para auxiliar a igreja no alcance de seus objetivos estratégicos. Uma dica é responder as seguintes perguntas: O que já existe? Quais são os limites do contexto envolvido? Quais são as idéias? Onde queremos chegar? O que precisamos fazer e por quê? Em que ordem devemos fazer? 2º) Escolha do desenvolvedor, ou seja, defina quem vai fazer o site; 3º ) Escolha do endereço do site: exemplo www.minhaigreja.com.br  Este registro pode ser feito e pesquisado no site www.registro.br   O nome deve ser o mais fácil e próximo do nome utilizado pela igreja; 4º ) Escolha do provedor de hospedagem de sites. O custo varia de R$30,00 a R$90,00 por mês para um site profissional com banco de dados. Esse valor contempla e-mails com o seu domínio (exemplo seunome@minhaigreja.com.br).

O que deve constar em um projeto de site, ou seja, qual seria o esqueleto de um projeto a ser entregue para o desenvolvedor?
Wesdra - Deixo uma idéia do que consideramos uma estrutura mínima para quem está começando. Deve-se ter um setor institucional onde conste o histórico da igreja, a visão, quem são os pastores e líderes, horários de cultos e reuniões, dados completos de endereço e telefone e um setor de contato via site. As demais seções devem contemplar o boletim informativo, o boletim de oração, quais são os ministérios e suas ações, projetos em andamento, agenda de eventos da igreja, reuniões de células e links importantes para assuntos relacionados.

Que páginas não podem faltar em um site de uma igreja?
Wesdra –
Um site existe para ser lido por pessoas. No mínimo temos que informar quem somos, como entrar em contato e prestar um serviço de informação para a comunidade, no caso a agenda da igreja e os boletins informativos.

Como e de que forma encontrar um desenvolvedor?
Wesdra -
Para encontrar um desenvolvedor deve-se procurar associações de agências digitais que indicam empresas ou profissionais que tenham no seu histórico sites de sucesso e referências de seus clientes. Um exemplo é a APRADi  no Paraná. Esse é um assunto muito sério uma vez que existem metodologias e técnicas que devem ser aplicadas para ter um site bem-sucedido. Um exemplo é a metodologia Web Standards, definida em convenções internacionais para  o desenvolvimento de sites de forma correta, possibilitando que seu conteúdo fique acessível ao maior número possível de pessoas, independentemente de suas necessidades e equipamentos.

A velha prática de chamar  “um sobrinho ou amigo para fazer meu site” não sai mais em conta?
Wesdra -
Sim, pode até sair mais em conta. Para contratar profissionais liberais ao invés de empresas especializadas devemos ter respostas para as seguintes perguntas: Ele já fez um site do nível que estamos solicitando? Vai fazer sozinho ou vai solicitar um amigo para fazer o layout? Por quanto tempo ele pode dar suporte técnico e manutenção? Pretendemos continuar investindo no site? O maior risco é ter que refazer o site. Se o seu projeto prevê continuidade de investimento, não contrate esse tipo de mão-de-obra. Mais cedo ou tarde um profissional sozinho não conseguirá atendê-los.

Quais são os erros mais comuns encontrados nos sites de igrejas?
Wesdra –
Certamente a falta de planejamento e a má escolha do desenvolvedor. Por mais óbvio que pareça, ainda existe muita gente querendo fazer site sem o mínimo de planejamento. Um bom planejamento pode reduzir custo de investimento, além de aumentar consideravelmente o alcance dos objetivos desejados.  A má escolha do desenvolvedor acaba por estar diretamente ligada ao erro do planejamento. A definição de objetivos, cronograma e ações pós-site pode significar redução de custo e não gastos desnecessários. Com 12 anos de experiência posso afirmar que o desenvolvimento de sites bem sucedidos para a internet não depende apenas de um bom desenvolvedor. A importância do planejamento é tanta que o ideal é que o desenvolvedor faça parte inclusive desta etapa.

E sobre o design? Como conciliar os dois? A mesma empresa pode fazer o design e a programação?
Wesdra -
O design pode ser feito separadamente da programação. O ideal é que ele seja feito e aprovado antes de começar o desenvolvimento do site.  Não é qualquer profissional que pode fazer um design para internet. Há profissionais específicos para isso que são conhecidos como webdesigners. Este profissional entende tanto de design gráfico quanto de usabilidade na internet e programação de páginas estáticas. Não basta saber desenhar! Um site pesado, por exemplo, gera problemas de usabilidade e otimização para as ferramentas de busca. O ideal é que a mesma empresa faça o design e a programação das páginas.

E quanto ao culto online, rádio online e Bíblia online? O que a igreja deve saber para incluir estas seções no site já na etapa do planejamento?
Wesdra -
Hoje é possível incluir no site todos estes serviços, porém, fica o meu alerta para as igrejas que ainda não tiveram um site. Meu conselho é que a igreja tenha uma primeira experiência colocando o site no ar. Depois pode-se pensar neste tipo de serviço. Para as igrejas com experiência, informo que existem empresas especializadas para isso. Um culto e uma rádio online não precisam ser necessariamente ao vivo. A empresa de desenvolvimento pode oferecer soluções para exibição de vídeos e áudios. Para os que desejam fazer transmissões ao vivo, o ideal é que visitem igrejas que já implantaram este tipo de serviço e troquem idéias sobre gastos com equipamentos, estrutura, pessoas e com o provedor para transmissão ao vivo, conhecido como streaming. Quanto à Bíblia online é possível oferecer um link para as que já existem na internet ou pesquisar com uma igreja que já tenha e possa fornecer o arquivo gratuitamente.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com