Artigos

Compartilhe

Tecnologia e Informática

Construindo o site da Igreja


Cada vez mais as igrejas e ministérios têm lançado mão da Internet para divulgarem seus trabalhos, evangelizar, ensinar, informar e se relacionar com seus públicos. Porém, muitos pastores e gestores ainda têm dúvida sobre quais as melhores estratégias para a produção de um site. Em resposta a dúvida de um de nossos cadastrados, pontuamos alguns aspectos básicos a serem considerados na produção de sites.

Algumas questões devem ser clareadas, antes de tratarmos do site em específico: a Internet é um veículo de Comunicação igual a Rádio, TV ou Jornal. Sua capacidade de informar e formar é igual ou maior que os outros veículos de comunicação. O internauta passa horas plugado, deliberadamente. Como tal, a responsabilidade de quem produz as informações é de maior importância.

Para começar, como em tudo nessa vida, temos que planejar. Preparar uma reunião com os interessados em participar, e com muita organização, procurar entender o que se pretende fazer.

Qual é o objetivo de montar um site? Quem se deseja atingir? Quem é o responsável pelo site? Quais suas responsabilidades? Quais os recursos disponíveis (materiais, financeiros, humanos e espirituais). Como será feita a avaliação do projeto? Quem irá verificar o conteúdo disponível?

Por falar em conteúdo, essa é a palavra chave da Internet. O internauta só se interessará pelo site se tiver conteúdo, matérias e assuntos de seu interesse.

Como na Internet o que conta é ter visitação (audiência), sem conteúdo a pessoa entra uma vez e se não percebe novidade ou algum assunto de seu interesse, não volta mais. É a mesma coisa de assistir um filme ou uma notícia repetida.

Internet é dinâmica, tem que ser atualizada constantemente, com conteúdos de interesse.

O que é conteúdo de interesse? Essa resposta só pode ser respondida se conhecer o público que se deseja atingir.

A pergunta então deve ser: Com quem eu desejo conversar? Quem será meu público alvo?

Certamente o principal público da rede é o jovem. Mas não é o único a fazer uso dela.Não se pode negar que hoje em dia grande parcela da população tem acesso a rede mundial de computadores. No Brasil já somos mais de 20 milhões de internautas. Cerca de 12 milhões compram ou compraram pela Internet. É um número gigantesco. Maior que a população de muitos países.

A solução para atender a todos os membros de sua Igreja é a segmentação por idade.Fazê-lo de acordo com seus ministérios, por exemplo, seria uma boa idéia. Ministério infantil, adolescentes, de jovens, adultos e por afinidades.

Uma curiosidade: A Internet tem se demonstrado um excelente veículo para conversar, atender, tratar de problemas que são difíceis de serem assumidos. Por exemplo, dependências, sexualidade, alcoolismo, drogas etc. A pessoa se sente mais à vontade para se “abrir” ou procurar ajuda.

Deve-se oferecer o máximo de serviços pelo seu site. Parta do pressuposto que as pessoas passam horas na rede. Se oferecer um conteúdo cristão, com assuntos de interesse da sua Igreja e outros gerais, não tem por que o internauta sair do seu site para “surfar” na rede (esse é o termo para sair procurando informações na Internet).

Crianças, com idade de alfabetização já usam computadores. Se não têm em casa, certamente terão acesso na escola ou na biblioteca da cidade. Uma vez que se acostumou com o equipamento, não fica sem ele. Muito em breve ele será tratado como um eletrodoméstico. Em alguns países ele já é.

Bom, oferecer conteúdo para todos realmente não é fácil. Dê uma olhada nos principais sites brasileiros (UOL, IG, MSN etc) e veja quanta coisa e quantos assuntos disponíveis. Além das notícias, fresquinhas, pode ter meteorologia, economia, chats (espaços para bate-papo), fóruns, links (contato com outros sites) colunistas, entretenimento e obviamente notícias da sua igreja, da congregação e da sua denominação.

Uma sugestão é abrir espaços para membros da igreja escreverem assuntos que dominam. Médicos com suas especialidades, psicólogos, professores, terapeutas, administradores de empresas ajudando outros empresários com menos informações, enfim, fazer com que os membros se sintam responsáveis pelo site, participem e colaborem com ele.

Não se esqueça que tudo deve ter, sempre, um acompanhamento/supervisão pastoral. A idéia é que, quanto mais tempo o internauta permanecer no site melhor. Isso o inibe de procurar informações na rede, que certamente vai encontrar, mas sem a visão que desejamos dar. Isso requer tempo e pessoal. Como o sr. nos informa, já tem uma pessoa da área de informática. Isso ajuda e muito. Mas não resolve. Uma sugestão é instituir uma comissão, com várias pessoas com afinidade e disponibilidade. Uma idéia é começar menor e ir crescendo conforme aumentar o número de acessos (clics).

Deve-se cuidar, e muito, dos aspectos visuais do site. Ele tem que ser agradável, visualmente. Além das informações, deve-se ter um layout muito bonito e com a cara da igreja.

Não se esqueça: conteúdo, visual e utilidade. Essa tríade responde as principais preocupações da Internet. Pelo menos por enquanto.

Outra sugestão que podemos dar, que tem sido muito útil na rede pois cria fluxo de visitação é oferecer endereço de e-mail aos seus membros. É relativamente fácil e muito útil, pois eles se sentiriam privilegiados com um endereço de e-mail de sua igreja.

O máximo que ose pode desejar, por enquanto, é transmitir cultos on-line, como rádio (só áudio) e televisionado via rede. É uma tecnologia relativamente fácil e barata. Empresas especializadas lhe assessoram sem muita dificuldade. Isso não é novidade, já existem vários sites evangélicos que oferecem esse serviço.

Lembre-se: Jovens usam a mais a Internet e recebem mais informações (pesquisas informam que a Internet exerce grande influência sobre os jovens), por isso o alvo principal deve ser eles. Na rede tem de tudo, deve haver também conteúdo cristão. Por que não usar a tecnologia a serviço do reino?

Por enquanto vamos ficando por aqui. É um bom começo e muito trabalho. Deus os abençoe nessa jornada.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com.

Leia Também:
O cyberespaço é a minha paróquia 
www.suaigreja.com.br
O sucesso do site da Igreja