Artigos

Compartilhe

Liderança Pastoral

Pilares da nossa salvação


... 8 Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; 9 não de obras, para que ninguém se glorie. 10 Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas. (Efésios 2.1-10)

O mundo está fora dos eixos. Não precisa ser muito sabido para perceber a realidade sombria do que nos cerca. A humanidade tem sido incapaz de dirigir seus próprios passos para criar uma sociedade justa, livre, humanitária, que viva em paz e harmonia. O apóstolo Paulo compreende bem a origem do problema (v.1-3). Estávamos mortos, escravizados e condenados. Mortos nos delitos e pecados (nos passos falsos e nas intenções equivocadas, na transgressão e na iniquidade, na objetividade e na subjetividade), separados, alheios e indiferentes à comunhão com Deus. Escravizados pelo curso deste mundo (sistema de valores que ignora, repudia ou se rebela contra Deus), pelo príncipe da potestade do ar (espírito maligno dominador sobre os rebeldes) e pelas inclinações da nossa carne (vontades e desejos dos pensamentos corrompidos). Porque está morta e escrava, tornou-se condenada à ira eterna de Deus. Ainda bem que o texto não acabou aqui. Ao contrário, seguiu cheio de esperança apresentando três pilares para nossa salvação em Deus.

Somente Cristo. Diz o texto que Deus nos deu vida juntamente com Cristo e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus. Quando se trata da salvação de nossa alma, nenhuma instituição, nem homens ou mulheres do presente ou do passado, nem qualquer outro ser criado por Deus, nada e nem ninguém podem garantir que tal fato aconteça. A razão é simples: somente Cristo nasceu sem pecado; somente Cristo viveu sem pecar; somente Cristo decidiu morrer na cruz; somente o sangue de Cristo satisfez a justiça de Deus; somente Cristo venceu a morte e ressuscitou; somente Cristo derrotou por completo Satanás e suas hostes malignas; somente Cristo pode nos perdoar os pecados. Somente Cristo, aos mortos, tem o poder de ressurreição, aos escravos, tem o autoridade de libertação, aos condenados, tem o posição do perdão.

Somente a graça. Diz o texto porque pela graça sois salvos. De fato, toda a iniciativa para nossa salvação vem de Deus. Deus fez isso, pois é rico em misericórdia (coração que se achega aos miseráveis). Não somente se aproximou, mas decidiu demonstrar o favor que não mereceríamos. Isso é chamado de graça: favor gratuito, não merecido, distribuído aos indignos dela. Se a redenção fosse devida a todos os homens, ou se fosse uma compensação necessária à responsabilidade deles, não poderia ser gratuita, e o dom de Cristo não poderia ser uma expressão superior do livre favor e amor de Deus. Graça não significa que não tenha custado. Ao contrário, custou tanto, pois custou o sangue de Cristo, que jamais conseguiríamos pagar. Como diz o poeta, "eu nunca saberei o preço dos meus pecados lá na cruz". Somente pela graça somos perdoados, somente pela graça justificados, somente pela graça redimidos, somente pela graça temos vida eterna, somente pela graça santificados, somente pela graça temos acesso ao coração do Pai, somente pela graça recebemos o Espírito Santo, somente pela graça temos a mente de Cristo, somente pela graça estamos assentados nas regiões celestes, somente pela graça fomos abençoados com toda sorte de bênçãos, somente pela graça... 

Somente a fé. O autor é bastante categórico ao afirmar: Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus. O que não vem de nós? Nem a graça, nem a fé, nem a salvação. Todo o conjunto (isto) é dom de Deus. Sendo a totalidade dom de Deus, implica dizer que a fé que nos leva para a salvação também é dom de Deus. Jamais devemos pensar que a salvação é uma transação entre nós e Deus, onde Deus entra com a graça e nós entramos com a fé. Somos invadidos pela graça do crer (At 18.27; Fp 1.29; Rm 10.17: Rm 12.3). Podemos orar como os apóstolos: aumenta-nos a fé (Lc 17.5). Ela é dom de Deus. A fé é a confiança humilde com que nós recebemos a graça.

A fé que aceita Cristo deve ser acompanhada pelo arrependimento que rejeita o pecado. Essa é a função da fé: receber o que a graça oferece. Somente pela fé recebemos a salvação, somente pela fé nos entregamos completamente, somente pela fé seguimos a Jesus, somente pela fé nos tornamos seus discípulos, somente pela fé acolhemos suas palavras, somente pela fé fluirão rios de água vida de seu interior, somente pela fé nos manteremos fiéis até o último dia e receberemos a coroa da vida, somente pela fé não nos desviaremos do caminho.

A salvação é uma obra completa: é a libertação da morte, da escravidão e da ira. Por causa dela, fomos vivificados, exaltados e feitos assentar nas regiões celestiais e criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas. Passamos a ter uma nova vida, um novo andar, um novo compromisso. Vamos, pois, nos entregar por completo ao Senhor e andar, não mais como antes, mas nos caminhos que ele nos preparou. Essa é a esperança para um mundo perdido.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia Também:
Celebrando a reforma
O pensamento reformado sobre a redenção da humanidade
Sacerdócio universal de todos os crentes
Somente a Deus toda glória
A certeza da salvação