Artigos

Compartilhe

Liderança Pastoral

Por que pastores se suicidam?


Neste último final de semana do dia 25 de Agosto de 2018 fomos chocados com a notícia de mais uma morte de um jovem pastor, pai, esposo e filho que sucumbiu à depressão e a ansiedade e acabou morrendo por complicações resultantes da tentativa de suicídio.

Por que isso acontece com homens de Deus? 
Acredito que isso acontece porque apesar de serem homens de Deus são homens. São seres humanos normais, sujeitos aos impactos de desequilíbrios neurais, de predisposições genéticas negativas, que se transformam em doenças e transtornos mentais, que trazem consigo seus efeitos devastadores, o que inclui, as vezes, o suicídio.

Por serem humanos normais também vivem e sofrem as pressões da vida, da adaptação diante de crises, das perdas, do peso das responsabilidades, por serem humanos desenvolvem visões distorcidas da realidade as vezes se cobrando demasiadamente ou aceitando radicalmente as exigências alheias.

Por serem humanos normais sofrem as vezes com os dilemas existenciais diante de tragédias que vivem e que assistem em seu dia a dia, e diante das quais não encontram um sentido imediato ou uma resposta satisfatória.

Por serem humanos normais sofrem com a incompreensão e pressões de outros que hipocritamente exigem deste homens atos e compromissos que estes que exigem nunca deram um passo na mesma direção.

Por serem humanos muitas vezes se vêm sozinhos, sofrendo de solidão em meio a multidões, onde lhes falta amigos reais, ombros acolhedores e lugares onde se possa apenas chorar.

Teologicamente falando, por serem humanos normais estão sujeitos ao fato de viverem em um mundo caído, marcado pelo pecado e suas consequências nefastas.

Como psicólogo grito dizendo que é preciso ação. 
Ação de prevenção e tratamento para estes homens que sofrem tudo isso e muito mais por estarem na linha de frente do ministério cristão. É preciso sensibilidade por parte da igreja de Cristo que precisa reconhecer que seu pastores precisam de suporte psicológico para estarem mais saudáveis para vida e para o ministério com todas as suas peculiaridades e desafios.

Como teólogo lembro que estamos em uma grande batalha espiritual e o inimigo tenta usar todas as possibilidades para ferir o corpo de Cristo. Diante disso o fortalecimento mútuo expresso em um cristianismo bíblico verdadeiro, vivido em comunidades saudáveis pode não apenas salvar nossas almas, mas contribuir para curar e preservar nossa saúde psíquica também.

Pastores se suicidam porque são gente, gente que precisa de gente que os ame, e compreenda que a igreja deve ser lugar de gente, que tem limites, incongruências e necessidades, inclusive psicológicas, e que estas também precisam ser tratadas e respeitadas e não julgadas ou menosprezadas, sob pena de continuarmos assistindo a esta tragédia silenciosa, que toma corpo somente quando a notícia chega à mídia. Mais um servo que tombou.

Que o Senhor sustente a estas igrejas e a estas famílias que tem passado por este drama e nos desperte para sermos parte da solução.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site http://www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com.

Leia também
Admitindo o cansaço 
A síndrome de burnout em pastores e líderes
E-mail a um líder cansado e com vontade de desistir