Artigos

Compartilhe

Gestão de Pessoas

Pedro, o sanguíneo


Deus não está tão interessado em mudar as circunstâncias, como em transformar as pessoas. Crendo nisso, Tim LaHaye popularizou, no meio cristão, a antiga teoria de Hipócrates sobre os quatro tipos básicos de temperamento. (Livro: Temperamentos Transformados: Como Deus pode transformar os defeitos do seu temperamento)

Diante de tantas opiniões sobre quem seria Jesus Cristo, Pedro faz a eloquente declaração: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo" (Mateus 16.16). Foi convincente, expressivo, persuasivo. Seus olhos espirituais tinham sido abertos. Imediatamente, porém, Jesus começa a falar que era necessária sua morte, mas que ressuscitaria ao terceiro dia. Contudo, parece que Pedroperde seus sentidos e juízo. Repreende o Mestre: "Nunca, Senhor! Isso nunca te acontecerá!" (Mateus 16.22 - NVI). De repente, o discernimento perde lugar para a estultice. Mas "Jesus, virou-se e disse a Pedro: Para trás de mim, Satanás!" (Mateus 16.23 - NVI). Podia ter dormido sem essa dura.

sanguíneo tem o "sangue quente". As falhas de Pedro estavam justamente no calor do seu coração. Ninguém foi tão falante, vibrante e decisivo entre os discípulos. Companheiro de todas a horas (Mateus 17.1; João 21.17), Simão amava ao Senhor profundamente e não se envergonhava em demonstrar publicamente suas emoções (Mateus 17.4; João 6.68-69). Era desinibido e sincero (Lucas 5.8), sempre respondendo com entusiasmo ao coração (Mateus 14.28-29; João 18.10). Mas foi no diálogo, um pouco antes da morte de Cristo, que seu temperamento sanguíneo vulnerável ficou evidente. Jesus previu: "antes que o galo cante, tu me negarás três vezes" (Mateus 26.34). O discípulo respondeu vigorosamente: "Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei" (Mateus 26.35). Infelizmente, acabou negando!

Pessoas sofrem em sua vida por fenômenos comportamentais. As falhas na caminhada decorrem de quem realmente as pessoas são, e como agem em certas ocasiões. É curioso notar que a mesma virtude adotada em certo ambiente, torna-se defeito quando ultrapassa certos limites. O remédio torna-se veneno quando aplicado em dosagem excessiva. Qualquer qualidade de personalidade pode ser a própria pedra de tropeço, e o risco é proporcional à amplitude do talento.

A ação do Espírito Santo no temperamento de Pedro

Pedro teve em Jesus um amigo que o exortou com assertividade, usando de firmeza com ternura, franqueza com brandura, transparência com respeito, verdade com afeto. Além disso, Pedro contou com a poderosa intercessão do Mestre (Lucas 22.32). Através do livro de Atos podemos ver que seus defeitos foram superados pelas qualidades, que se realçam em poder nas palavras, constância, coragem, sabedoria, alegria, humildade, amor, fé, paciência e liderança (Atos 2.14; Atos 4.13; Atos 4.20). Submetendo suas fraquezas ao Senhor e cheio do Espírito Santo, Deus o aperfeiçoou, firmou, fortificou e fundamentou (1 Pedro 5.10).

Pedro experimentou a plenitude do Senhor equilibrando seu temperamento sanguíneo. De igual forma, vamos nos entregar à transformação do Senhor para obtermos um temperamento temperado pelo Espírito Santo.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia também:
Virtude ou veneno
Não desça da cruz
A intimidade me revela