Artigos

Compartilhe

Reflexão

Perdidos e achados

Baseado em Lucas 15.1-30

Os biógrafos de Jesus documentam em abundância seu interesse pelos pecadores marginalizados e desprezados pela sociedade. Exatamente a estes é que o Mestre dedicava carinho, afeição, gentileza, acolhimento, aceitação. Ouvia suas histórias, sentia seus dramas, comia junto com eles. Contudo, porque amava essa gente, foi duramente criticado e censurado pelos religiosos que o seguiam. Para estes Jesus contou de uma só vez três histórias interligadas.

Na primeira (v 4-7), Jesus conta a passagem de um pastor que tinha cem ovelhas e perdeu uma. Saiu em busca da ovelha perdida e a encontrou. Na segunda (v 8-10), Jesus conta sobre uma mulher que tinha dez moedas e perdeu uma. Revirou sua casa em busca, quando, finalmente, achou-a novamente. Por último (v 11-24), Jesus conta de um pai que tinha dois filhos. O mais novo resolve pedir sua herança e sair de casa. Após gastar todo o seu dinheiro, em tempo de crise, começa a passar fome e experimenta a miséria. Arrependido volta para casa e é recebido com grande alegria por seu pai. Quando lidas em conjunto, as parábolas refletem verdades que nos fazem pensar.

Todos sabiam o que tinham perdido.

O pastor representa uma vocação, uma profissão, uma atividade. Sabia que tinha perdido, mesmo que fosse uma perda centesimal, porque amava o que fazia, era aplicado, responsável e competente. A mulher representa uma dona de casa e a moeda significa seu sustento. Sua perda é maior, pois chega a 10% de tudo o que tem. Era uma mulher pobre e sabia o quanto aquela perda trazia problemas para sua sobrevivência. Já o pai sofre uma perda maior ainda. Tinha animais e moedas do que tirou parte para entregar ao filho mais novo. Mas ele sabia que sua grande perda não era material, mas sim o distanciamento do coração e amor do seu filho. Jesus quer deixar claro que Deus sabe muito bem o que perdeu. Você sabe o que tem perdido na vida? 

Todos se esforçaram para recuperar.

O pastor deixa as demais ovelhas e "vai em busca" (v.4), indicando que tinha pistas e rastros que o conduziram diretamente à ovelha perdida. Já a mulher teve uma intensidade de busca maior, pois precisou acender a candeia, varrer e vasculhar, procurando diligentemente (v.8) até encontrar. Mas o que dizer do pai? Ele não saiu em busca de seu filho. Parece contraditório pensar que a maior perda não seja seguida da mais ativa busca. Jesus está ensinando uma nova dinâmica espiritual. Existem momentos quando somos agentes ativos da busca e outros quando devemos aprender a esperar o agir de Deus. De fato, somente Deus poderia trazer consciência àquele filho, convencendo-o do retorno (v 17-19). Esperar exige mais esforço, vigor, persistência, energia, confiança plena, descanso no Senhor. E como descansar dá trabalho. Jesus quer deixar claro que Deus tem sido muito ativo na busca do que perdeu, mas também espera o grande momento quando seus filhos voltem aos seus braços. Você sabe como agir diante do que perdeu? 

Todos celebraram o achado.

O relato de Jesus indica uma crescente comemoração. Para a ovelha encontrada houve "júbilo no céu" (v 7), já para a moeda achada Jesus diz que houve "júbilo diante dos anjos de Deus" (v 10). Por último, a maior vitória representada pela salvação do próprio filho houve júbilo do próprio Deus, representado pela figura do pai (v 22-24). Jesus quer deixar claro que a marca do Reino de Deus é festa e celebração porque há salvação, o que tinha sido perdido foi achado, o que tinha morrido reviveu, o relacionamento quebrado foi reconciliado. Você tem vivido uma vida de celebração?

Uma quarta história 

Mas, como sempre, nosso Mestre surpreende. Emenda uma quarta história, a história do outro filho perdido (v 25-30). Este irmão mais velho estava perdido para seu pai, para seu irmão e para a comunidade toda que festejava. Era um perdido de dentro. Perdido sem saber, sem perceber, sem reconhecer. Perdeu a consciência que se perdeu. Porque não sabia que estava perdido, não se esforçou para ser encontrado. Por não ser encontrado, não tinha motivos para a festa. Jesus não põe fim a essa história, mas a deixa em aberto esperando que cada um de nós escreva seu último capítulo. Este filho pode ser você. Deixe-se ser encontrado. Volte ao Pai.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia também
Ovelha perdida

Por mais aceitação
Deus sabe todas as coisas