Artigos

Compartilhe

Reflexão

Palavra de Ânimo ao Ansioso- 2

Qu


al de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso de sua vida? Se, portanto, nada podeis fazer quanto às coisas mínimas, por que andais ansiosos pelas outras? (Lucas 12.25-26).

ansiedade é uma preocupação descontrolada com aquilo que poderá vir a acontecer no futuro. É um sentimento perturbador que, além de não resolver o problema de amanhã, rouba-nos a força para enfrentarmos o dia de hoje. Ela nos rouba do presente. Também rouba a capacidade de aceitar alguns fatos naturais da vida. Por exemplo, é comum a velhice causar ansiedade em alguns. E o que dizer da morte? Mas, em sã consciência, alguém pode escapar de alguma dessas duas coisas? É preciso compreender algumas verdades que a Palavra de Deus nos ensina para vencermos esse mal que quer nos assolar.        

Em primeiro lugar, preciso saber que não sou só eu que tenho esta luta. 
Aliás, nem é um mal decorrente dos tempos modernos, como alguns pensam. A Bíblia nos indica que esse problema é de longa data, atravessando as gerações de diferentes raças e culturas. Está impregnado na história da humanidade. Veja, por exemplo, as palavras de Salomão quando sabiamente declarou: "A ansiedade no coração do homem o abate, mas a boa palavra o alegra" (Provérbios 12.25). Os patriarcas, reis, juízes e tantos outros homens e mulheres lutaram duramente para sair do labirinto das preocupações que os aprisionavam. Também, hoje, basta olhar ao redor para constatar quantos sofrem nesta batalha.     

Além disso, preciso saber que Deus se importa com minha luta.  
Foram de Jesus as palavras para não andarmos ansiosos de coisa alguma (Mateus 6.25ss). Ele esforçou-se para chamar nossa atenção que, assim como as aves dos céus tem seu alimento e as flores no campo tem vestes majestosas, não precisamos nos preocupar sobre aquilo que Deus sabe que necessitamos. Jesus sabia de nossa luta contra a ansiedade. Foi muito além de qualquer expectativa e deu sua própria vida para assegurar nosso futuro. Nas palavras de Paulo: "aquele que não poupou o seu próprio Filho, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?" (Romanos 8.32). O apóstolo concluiu sua brilhante reflexão afirmando que, definitivamente, nada poderá nos separar do amor de Deus. Há notícia melhor que essa?

Por último, sem qualquer pretensão de esgotar o vasto tema:
Preciso saber que há uma poderosa estratégia para vencer essa luta.
Nas palavras de Paulo, ao invés de andar ansioso de coisa alguma, devo apresentar minhas petições diante de Deus (Filipenses 4.6). A oração é a estratégia! Mas não é qualquer tipo de oração, senão aquela que é abrangente (em tudo, e não somente alguns assuntos da vida), direcionada (diante de Deus, e não despejando sobre as pessoas) e intensa (com súplica que vem das entranhas, e não somente com uma oração formal). O apóstolo Pedro reforça isso dizendo: "humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós" (1 Pedro 5.6-7). Quanto orar? Até o extremo de "lançar". Mais que mudar o futuro, a oração neste nível mudará meu coração quanto ao futuro.     

De fato, a presença de Deus é o ambiente que dissipa toda a ansiedade. Quanto mais meus pensamentos forem invadidos por suas palavras, e minhas palavras invadirem o trono da graça pela oração, mais profunda e penetrante será a verdade de que todas as coisas estão sob seu controle. Deus é soberano e isso basta para vivermos um dia de cada vez com segurança e alegria. Vamos, pois, permanecer em sua presença.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia Também
Pare de murmurar
Três práticas para enfrentar as muralhas
Desistir nunca!