Artigos

Compartilhe

Reflexão

Esperança para o Novo Ano

Porque há esperança para a árvore, pois, mesmo cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus rebentos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e no chão morrer o seu tronco, ao cheiro das águas brotará e dará ramos como a planta nova.(Jó 14.7-9)

Quando Jó proferiu estas palavras, ele estava em um momento muito difícil em sua vida. Todas as árvores de seu jardim tinham sido cortadas: seus bens materiais, seus filhos, sua saúde. Mesmo diante da realidade da brevidade da vida, das limitações da humanidade, das tragédias e adversidades que todos enfrentam, Jó declara esta linda poesia. Três elementos destacam-se em sua declaração de fé: a árvore cortada, o cheiro das águas e a planta nova.

A árvore cortada simboliza áreas em nossas vidas que foram fortemente atacadas ao ponto de perderem o brilho, as cores, a alegria, a vitalidade. O corte representa um golpe que recebemos, uma adversidade que enfrentamos. Os cortes podem vir de fatores externos (Tiago 1.2, 3), alheios ao nosso controle, ou de nossas próprias decisões (Tiago 1.5). É mais fácil reconhecermos que a culpa do problema que nos metemos é de outra pessoa ou de outra causa externa. Mais difícil é reconhecer que nós mesmos fomos os causadores dessa "árvore cortada". Independente de qual tenha sido a origem do problema, o fato é que a árvore está cortada. Sua raiz envelhecida indica que faz tempo que o problema existe. Seu tronco morto aponta para a aparência já consolidada que essa área não tem mais jeito. Em meio às cinzas de suas feridas, Jó enxerga que uma árvore cortada, mesmo que há muito tempo, não representa morte definitiva.

O cheiro das águas aponta para a fé. A chuva ainda não chegou, mas o cheiro indica que ela virá. Jó tinha todas as árvores de sua vida cortadas, mas essas palavras são sua declaração de fé, uma poesia de esperança: há vida depois da morte! Enquanto a lógica desse mundo é que a tribulação gera desespero, no mundo da fé a tribulação gera esperança (Romanos 5.3, 4). É uma outra forma de ver o mundo e as circunstâncias que nos cercam. Como é gostoso sentir o cheiro de chuva, ainda mais quando estamos em um tempo de sequidão. Algumas pessoas sentem o cheiro da chuva antes de outras. Assim foi com o profeta Elias quando estava em tempo de seca (1 Reis 18.41-45). Sua oração perseverante e cheia de fé moveu os céus e atraiu a chuva. Mas fé em quem? No Senhor da ressurreição. O único elemento concreto na história da humanidade que prova que existe vida depois da morte é Jesus Cristo, pois ele está vivo! Jesus ressuscitou, venceu a morte. Por isso, somente a fé em Jesus Cristo tem poder de dar vida ao que está morto. Fé em qual medida? Pode ser na medida embrionária do cheiro. Não importa o tamanho, mesmo que muito pequena, a fé é o elemento que dispara a ação do Senhor, é o motor de ignição do poder de Deus.

A planta nova torna-se, então, a consequência natural da fé. Segundo o texto, a planta nova tem características marcantes: brotará e terá ramos. "Brotar" significa que os sinais vitais voltam. O que estava cortado voltará a ter vida. Você será o primeiro a experimentar a restauração da vida na árvore que estava cortada. "Ter ramos" significa que você frutificará nesta área na vida de outras pessoas. Você poderá ajudar pessoas que passam pela dificuldade pela qual você passou através do seu testemunho, oração, conselhos (2 Coríntios 1.4). A planta nova torna-se, assim, uma vida relevante na geração que vivemos, fazendo a diferença, abençoando as pessoas.

É bom começar o ano reconhecendo que nossas árvores cortadas, ao cheiro das águas, recebem a vida e se tornam uma planta nova. Diante dos problemas, busque com muita intensidade e confiança a Jesus Cristo, nosso Salvador. Ele é a esperança para o novo ano.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com