Artigos

Compartilhe

Reflexão

Oração na Palavra

A vida do profeta Jonas foi muito relevante para sua geração e para muitas outras posteriores. Foi o mais citado por Jesus (Mt 12.38-42; 16.4; Lc 11.29-32), sendo uma vida que apontou para a própria missão de morte e ressurreição de Cristo. Em resumo, sua história aconteceu em três principais locais: Deus o chamou para ir pregar em Nínive, ele pegou o barco para Társis, mas a grande mudança em seu coração aconteceu no fundo do mar, dentro de um grande peixe. Vejamos rapidamente o significado de cada local.

A cidade de Társis representa o lugar de fuga. Já era conhecida desde o tempo do rei Salomão que de lá trazia navios com ouro, prata, marfim, macacos e pavões (1 Rs 10.22). Era um porto distante, identificado pelos estudiosos como sendo Gibraltar, a porta para a Espanha. Um lugar exótico para a época, idealizado como uma terra glamorosa, de riquezas e esplendores, com o encanto do desconhecido, algo que despertava no coração de qualquer um a cobiça pelo ter e pelo conquistar. Curiosamente, após um chamamento específico, Jonas dá uma resposta autônoma: “Deus me chama, mas eu escolho o destino”. Há uma rebeldia expressa. Pregar para os pagãos de Nínive, ou para os nobres de Társis? Társis representa um grande perigo às motivações de nossas decisões.

Se a função de Társis é afastar e fugir, o ventre do peixe, por sua vez, enquadra e aproxima. Representa o lugar de transformação. O clímax da espiritualidade do profeta acontece dentro do peixe, naquele ambiente viscoso, insalubre, fétido e profundamente desconfortável. Ali, ele entrega-se totalmente ao Senhor. Sua motivação é transformada, seu desejo de viver para o Senhor renasce. Sua oração retoma o centro de sua vida. Suas palavras refletem que não era um novato, mas um ministro experiente de Deus. Recita pelo menos quinze trechos de Salmos. Mostra que sua escola de conhecimento da Palavra de Deus vem à mente, subindo do coração, na hora da provação. É ajustado em suas intenções e reafirma seu compromisso e aliança com o Senhor. O ventre do peixe representa a bênção do tratamento de Deus em momentos críticos. Sua oração está escrita no capítulo 2:

1Então Jonas, do ventre do peixe, orou ao Senhor, seu Deus, 2e disse: “Na minha angústia a, clamei ao Senhor b, e ele me respondeu; do ventre do abismo, gritei, e tu ouviste a minha voz. 3Pois me lançaste nas profundezas c, no coração dos mares, e a corrente das águas me cercou;  todas as tuas ondas e as tuas vagas passaram sobre mim d4Então eu disse: ‘Estou excluído da tua presença ef; será que tornarei a ver o teu santo templo g?’ 5“As águas me cercaram até a alma h, o abismo me rodeou; e as algas se enrolaram na minha cabeça. 6Desci até os fundamentos dos montes; desci até a terra, cujos ferrolhos se fecharam atrás de mim para sempre. Tu, porém, fizeste a minha vida subir i da sepultura j, ó Senhor, meu Deus! 7Quando, dentro de mim, desfalecia a minha alma k, eu me lembrei do Senhor; e subiu a ti a minha oração, no teu santo templo l8Os que adoram ídolos vãos m abandonam aquele que lhes é misericordioso. 9Mas, com a voz do agradecimento, eu te oferecerei sacrifício; o que prometi cumprirei n. Ao Senhor pertence a salvação o!” 10E o Senhor falou ao peixe, e este vomitou Jonas na terra. (NAA)

Após essa marcante experiência de oração guiada pela Palavra, Jonas segue seu chamado para a cidade de Nínive, que representa o lugar de propósito. O rei de Nínive convoca todo o povo para que clame a Deus com todas as forças e deixe seus maus caminhos e a violência. Ao final, temos a história de conversão coletiva sem muitos precedentes. Cerca de 120.000 pessoas convertidas a partir de uma pregação simples, mas que atingiu diretamente seus corações. Pecadores se arrependem e o nome do Senhor é glorificado.

Vivemos dias inusitados. Nosso curso foi completamente mudado. Houve interferência, como nunca, na história da humanidade. Estamos confinados, em quarentena, isolamento social. É um tempo para voltarmos com todo o nosso ser em oração ao Pai. Não qualquer tipo de oração, mas uma oração guiada pelo Espírito Santo por meio de sua Palavra. Ao invés de fuga de um lado para o outro, tempo de transformação dentro de nossas próprias casas para cumprirmos grandes propósitos do Pai. Assim como Jesus citou Jonas, ele quer nos citar para sempre!

[1] Salmos 18.6 Salmos 120.1 Salmos 18.4-5 Salmos 42.7 e Salmos 31.22  f Salmos 139.7 Salmos 5.7 Salmos 69.1-2 Salmos 16.10 Salmos 30.3 Salmos 142.3  l Salmos 18.6 Salmos 31.6 Salmos 50.14 o Salmos 3.8