Artigos

Compartilhe

Reflexão

Últimos dias


— Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o Senhor de vocês  (Mateus 24.42 – NAA).

Como você se comportaria se recebesse a notícia que voltarei daqui a dois dias? Ou ainda se só tivesse mais algumas poucas horas de vida? Sairia correndo para tentar consertar relacionamentos dilacerados? Pedir e liberar perdão? Largaria pecados? Buscaria minha face mais intensamente?

Enfim, diante da minha iminente volta, em sã consciência e em plenitude das faculdades mentais, sei que colocaria em ordem seu coração, sua casa e sua vida. Em certo sentido, isso é vigilância. Vigilância significa precaução, diligência, cuidado, atenção desvelada. O vigilante está com suas coisas em ordem, seu coração liberado, sua mente focada. Não se distrai nem se esquece. Antes, espera minha volta em todo tempo, a cada momento.

Repito o que já disse: Eis que venho como vem o ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua nudez. Eis que venho sem demora. Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro.

Com o objetivo de mantê-lo em estado permanente de alerta e vigilância, é importante você estar atento aos sinais do final dos tempos que precedem meu retorno em glória, em dia e hora exatos que somente o Pai sabe. Falei de grandes sinais, como espírito de engano, guerras, fome, terremotos, perseguição e pregação da minha palavra em toda a terra.

Os falsos profetas estão soltos por aí, regidos por espírito de engano, dizendo “Eu sou o Cristo”, e enganando a muitos.

Outro sinal são as guerras e os rumores de guerra. O mundo está, ano a ano, cada vez menos pacífico. Apesar de não haver nenhuma guerra em curso dentro de muitos países, são esses que se envolvem em conflitos como o do Afeganistão, guerras do narcotráfico, disputas territoriais entre gangues, movimentos emancipatórios, guerras civis, enfrentamentos religiosos, raciais ou étnicos.

Observe outro importante sinal que falei: haverá fomes e terremotos em vários lugares. São mais de oitocentos milhões de pessoas desnutridas no mundo hoje, ou seja, uma pessoa a cada nove passa fome. Quanto aos terremotos, só nos Estados Unidos, ocorrem de doze mil a quatorze mil terremotos anualmente, ou seja, trinta e cinco por dia.

Predisse também o sinal da intolerância aos meus discípulos. Disse o quanto seriam odiados de todas as nações, por causa do meu nome. Atualmente, no mundo, duzentos milhões de cristãos são perseguidos intensamente em mais de sessenta países, e outros duzentos e cinquenta milhões de cristãos sofrem algum tipo de discriminação.

Em contrapartida a esses sinais negativos, acontecerá que o evangelho do reino será pregado por todo o mundo, para testemunho de todas as nações. Observe que a Bíblia é o livro mais distribuído no mundo. Falta pouco para ter, pelo menos, o Evangelho de João traduzido em todas as línguas. O cristianismo é a religião que mais envia missionários no mundo. E o que dizer da velocidade da informação por meio da internet, das redes sociais, de ferramentas de tecnologia que trazem velocidade na comunicação? Eu estou por trás disso tudo para abençoar as nações.

Diante desses sinais que indicam a iminência da minha volta, a reação de alguns será de indiferença, outros serão tomados por medo e pavor, mas o desejável é que você reaja com esperança e perseverança. A perspectiva da minha volta deve gerar esperança em vez de terror, desejo de encontrar-me, e um novo estilo de vida.

Quando eu voltar, e será em breve, quero encontrá-lo vigilante. Nesse grande dia, irei me cingir, colocá-lo sentado em um lugar especial na minha mesa e servir a refeição que marcará o novo tempo eterno na minha presença.

Jesus Cristo (parafraseado por Rodolfo Montosa)

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia também