Artigos

Compartilhe

Reflexão

Desfrutando do amor


Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor (1 João 4.7-8).

A primeira virtude que desfrutamos do Espírito Santo é o amor. Ele é a marca de quem é nascido de Deus e conhece a Deus. Mas, estamos falando de que tipo de amor? C.S. Lewis, em seu livro Os Quatro Amores, ensina que existem quatro palavras no grego traduzidas por amor em nossa língua: estorge - aquele amor percebido dentro da família; filéo - o amor que existe entre amigos; eros - o amor entre cônjuges; e ágape - amor perfeito existente na unidade e comunhão entre Deus Pai, Filho e Espírito Santo mostrado a nós através da cruz de Cristo. O ágape é o tipo de amor que podemos desfrutar somente do Espírito Santo.

O ágape já foi derramado pelo Espírito Santo.

Foi derramado sobre nós porque fomos amados profundamente pelo Senhor: "Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores" (Rm 5.8). Ele nos amou com este ágape sem que oferecêssemos algo para que nos amasse. Amor incondicional e altruísta. E este amor veio para ficar. É inviolável, inquebrável, impenetrável.

Por isso Paulo perguntou: "Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?" (Rm 8.35) Assim, todo aquele que está em Cristo recebeu esta semente do amor de Deus. Como está escrito: "Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado" (Rm 5.5).

O ágape cresce e aumenta em nós.

É possível e desejável que esta semente do ágape de Deus cresça em nós. Por isso Paulo escreveu: "Irmãos, cumpre-nos dar sempre graças a Deus no tocante a vós outros, como é justo, pois a vossa fé cresce sobremaneira, e o vosso mútuo amor de uns para com os outros vai aumentando" (2 Ts 1.3). "E o Senhor vos faça crescer e aumentar no amor uns para com os outros e para com todos, como também nós para convosco" (1 Ts 3.12). O apóstolo João deixou claro que não é somente um amor de palavras, mas de ação: "Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade" (1 Jo 3.18). Por isso Paulo exortou: "Todos os vossos atos sejam feitos com amor. (1 Co 16.14) Os atos de amor multiplicam o próprio amor.

O ágape é intenso, profundo e sem medida. 

Mas, o ágape pode crescer até quanto? Agostinho ensinou que a medida do amor é amar sem medida. Nesta direção, a Palavra ensina que o ágape é paciente, benigno, não é invejoso, não se ufana, não é soberbo, não se conduz inconvenientemente, não é interesseiro, não se irrita, não se ressente do mal, não se alegra com a injustiça, alegra-se com a verdade, tudo aguenta, tudo acredita, tudo espera e tudo suporta e jamais acaba (1 Co 13). 

Perceba o tamanho desse amor. De fato, o amor de Deus não tem medida, como disse Paulo: "e, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor, a fim de poderdes compreender, com todos os santos, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus (Ef 3.17-19).

Em resumo, recebemos a semente do ágape de Deus que deve crescer sem limite em nossos corações. Assim acontecendo em nós, o ágape vai potencializar o amor dentro da família, entre amigos, entre cônjuges, estendendo-se ao próximo. Vamos, pois, desfrutar, na prática, desta maravilhosa virtude do Espírito de Deus. 

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Leia Também:
Por que Jesus morreu na cruz?
Coração dilatado
O evangelho maltrapilho de Brennan Manning