Artigos

Compartilhe

Finanças e Contabilidade

O cuidado com as finanças


Jesus cuidou, mas surpreendentemente foi cuidado, deixou-se ser cuidado.

Aquilo que Jesus fez, viveu, falou, ensinou, deve ser observado, seguido, imitado, vivenciado por cada um de nós. As pegadas de Jesus são pegadas seguras, e nós temos que pôr os nossos pés exatamente no lugar que ele pisou. Ali é território certo de vitória, é um território sólido, que eu e você podemos e devemos andar. 
Falar sobre finanças, sobre dinheiro, parece pouco espiritual, para muitos é um assunto que choca, mas não é este o ponto de vista da Bíblia e também não é este o ponto de vista de Jesus.   

Já citei no artigo "Princípios bíblicos para finanças" que, o sermão do monte tem 107 versículos, 28 falam de alguma maneira sobre finanças, sobre dinheiro, 13 parábolas Jesus gastou usando analogias, exemplos na temática que envolvia recursos, finançasdinheiro.Então 26% ou 35% daquilo que está registrado das Palavras de Jesus trata de finanças.

Por quê? Porque finanças sim, é um assunto também espiritual. E se você não pensava assim eu te desafio a pensar assim. Se Jesus ensinou, gastou tempo, deixou uma herança que nós vamos meditar, é porque eu e você precisamos aprender um pouquinho sobre isto para termos uma vida abundante como o Senhor quer dar para nós em todas as áreas, inclusive na área financeira.

A sociedade está muito perdida neste assunto finançasdinheirorecursos. Mais de 25 milhões de brasileiros estão apontados como maus pagadores segundo os institutos que registram quem não paga em dia suas contas. Quando a gente pensa que a população economicamente ativa não são 190 milhões, isto mostra um contingente bastante grande de gente que não tem conseguido honrar as suas contas.  Mas, surpreendentemente, deste total 49 %, ou seja metade, tem menos de 29 anos. Assim podemos projetar o que vai ser o Brasil do futuro, já que a juventude não está conseguindo cumprir suas obrigações. Para onde este Brasil está caminhando na área financeira.

Esta sociedade, os que têm dificuldade na área financeira até tentam. Sabe aquele "lance" da segunda-feira, ou do mês de janeiro: "Agora vou poupar", "Vou gastar menos do que estou ganhando e vou fazer uma reservinha e vou poupar". Mais de 20 milhões de brasileiros abriram a caderneta de poupança começaram e não continuaram, são mais de 20 milhões de cadernetas de poupança inativas, sem registro de continuidade. 

Se ao longo da vida não consegue poupar, não consegue reservar e se gasta mais do que recebe, o que acontece na sociedade?

Nós temos uma realidade de aposentados bem difícil. Do total de aposentados brasileiros, somente 1% tem autonomia financeira, 25% dos aposentados precisam continuar trabalhando ou precisam da ajuda dos familiares 45% ou vivem na miséria 28% dos aposentados.   A projeção e a realidade do brasileiro neste assunto de finanças é bastante chocante, mostrando que nós não temos sabido lidar com o dinheiro. dinheiro tem sido uma dificuldade, uma pedra de tropeço na nossa caminhada, na nossa vida.

A maior parte ou a grande crise que vivemos tem a ver com finanças. Um país como a Espanha vive o maior nível de desemprego da sua história. Mas, não somente na Espanha, vimos a Grécia, a Itália. Países ricos, mas perdidos. A crise tem origem econômica, tem origem no não saber lidar com o dinheiro.   E o que isto tudo tem a ver com Jesus? Jesus deixou alguns conselhos simples e práticos sobre finanças.

Podemos dividir em dois blocos: os conselhos práticos e os conselhos conceituais. (Neste artigo vou falar sobre os conselhos práticos, deixando os conselhos conceituais para o próximo)

Conselhos práticos

1) Viver do trabalho. 

Mt 13:55 "Não é este o filho do carpinteiro? Não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos, Tiago, José, Simão e Judas?"

É interessante que o próprio Jesus era conhecido como carpinteiro, ele tinha recebido o ofício por herança paterna, ele tinha aprendido a trabalhar com madeira. Jesus trabalhou. Ele ensinou o que praticou. O primeiro ensino prático de Jesus, é que a nossa renda, o nosso sustento tem que vir sim do nosso trabalho. 

Não importa qual a área que você trabalha ou está enfrentando dificuldades, Ele pode te ajudar, te dar bons conselhos à respeito do teu trabalho. Trabalhar com Jesus é muito melhor. Você deve arregaçar as mangas, mas sabendo que Ele é sensível para te ajudar em todas as dificuldades do trabalho. 

2) Seja precavido - Planeje os gastos. 

Lucas 14:28: "Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir?"

Quando a gente se aproxima da presença do Senhor, a gente acaba pedindo para Deus abençoar as receitas, as entradas, mas eu pergunto: Nós estamos orando ao Senhor pedindo discernimento, entendimento, prudência, um coração precavido, cauteloso, um coração que antevê situações, que não se mete em situações além do que pode e consegue, que  dá o passo na medida certa?

Eu e você precisamos enxergar que uma vez abençoados pelo fruto do trabalho, devemos saber para onde é que este recurso vai e onde ele deve ser aplicado. Não parece muito espiritual, mas é muito espiritual, porque quando a gente não conduz bem a nossa vida financeira nas entradas e nas saídas, a nossa vida vai ficando pesada, a nossa família sofre, a gente sofre. O Senhor quer ser prático e simples e nos ensinar: quer construir uma torre? Tem projetos e sonhos? Faça as contas, seja precavido! 

Lucas 16:12: "Se não vos tornastes fiéis na aplicação do alheio, quem vos dará o que é vosso?" 

Aqui conta-se a história de um administrador infiel. Um senhor tinha muitas propriedades e bens, e ele deixou para um administrador que defradou os seus bens. Eu e você temos quatro maneiras de gastar dinheiro: 

1) Você gasta o seu dinheiro para outra pessoa (vê o preço e não tanto a qualidade). 
2) Você vai gastar o seu dinheiro para você (você vai se preocupar com a qualidade, mas você vai pechinchar também, você vai ver o preço e a qualidade)
3) O dinheiro do outro para mim (eu vou ver a qualidade, não ligo muito para o preço, porque o dinheiro não é meu) 
4) O dinheiro do outro para o outro (você não vê nem preço e nem qualidade)   Em geral é assim que este mundo pensa e se comporta. Estas são as formas de gastar dinheiro na atual sociedade.   

E o pensamento de Jesus? Como será que é o modelo mental de Jesus quando conta uma parábola desta, um administrador que estava gastando o dinheiro que não era dele? Ele mostra que o administrador estava gastando o dinheiro sem preocupação e Jesus condena esta atitude.

Não importa se é para você ou para o outro, o comportamento de integridade tem que ser absolutamente o mesmo.  Se você está lidando com um recurso que é seu ou está numa posição de lidar com o recurso que é de outro, não importa, nós temos que ter apenas um modelo mental e forma de pensar. 

Não importa onde você trabalha, numa residência ou numa grande empresa. Se você decide sobre um orçamento muito grande ou se é pequeno. O meu e o seu coração quando lida comrecurso tem que ser um coração de alguém que quer ser fiel ao outro. Não importa se orecurso é seu ou de outro. Se alguém confiou alguma coisa a você, tenha este coração que Jesus ensinou, não seja alguém infiel, imprudente, que desrespeite outra pessoa. 

Quando decidimos sobre as finanças da igreja, nós estamos administrando um recurso que não é nosso. E na verdade se você for mais profundo na questão: quem é dono de todo ouro e toda prata? É de Deus. Todo recurso que a gente acha que é nosso, na verdade, é de Deus e nós somos apenas mordomos.

3) Pague os Impostos

Mt 17:24: "Tendo eles chegado a Cafarnaum, dirigiram-se a Pedro os que cobravam o imposto das duas dracmas e perguntaram: Não paga o vosso Mestre as duas dracmas? Sim, respondeu ele. Ao entrar Pedro em casa, Jesus lhe antecipou, dizendo: Simão, que te parece? De quem cobram os reis da terra impostos ou tributo: dos seus filhos ou dos estranhos? Respondendo Pedro: dos estranhos. Jesus lhe disse: Logo, estão isentos os filhos. Mas, para que não os escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol, e o primeiro peixe que fisgar o anzol, tira-o; e. abrindo-lhe a boca, acharás um estáter. Toma-o e entrega-lhes por mim e por ti."

Jesus poderia ter uma serie de pensamentos para se livrar da questão dos tributos, mas Jesus decidiu pagar os impostos. Podemos dizer: mas este governo é tão corrupto. Meu querido, pague os impostos! Você tá vendo os escândalos? Veja nos jornais. Meu querido, pague os impostos! Nós podemos atribuir certos fatores para escapar, mas Jesus decidiu pagar os impostos.

Você vai honrar as autoridades e Deus vai derramar provisão, não vai te fazer falta alguma.

Agora estamos prontos para avançar para os conselhos conceituais que será abordado no próximo artigo.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site http://www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com.

Confira na seção de downloads gratuitos, testes e planilhas que lhe ajudarão a organizar suas finanças.

Leia Também
Investindo seus recursos
Testemunho financeiro
O líder e suas finanças pessoais